PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

EDITORIAL (JC pág. 2)
Médico do SUS: em defesa de plano de carreira definido e piso salarial digno


CONFERÊNCIA (JC pág. 3)
Os desafios por melhores condições de trabalho no sistema público de saúde


ATIVIDADES 1 (JC pág. 4)
Módulos para atualização profissional avançam no ABC e no interior


BIOÉTICA (JC pág. 5)
Síntese dos temas abordados no Simpósio de Bioética Hospitalar, realizado no final de maio


ATIVIDADES 2 (JC pág. 6)
Quatro chapas disputam o pleito para a gestão 2009-2014


PRÓ-SUS (JC pág. 7)
Fórum Nacional e Sudeste debate plano de cargos e salários da classe


ENSINO (JC págs. 8/9)
Coletiva de imprensa apresenta livro e estudo sobre o Exame do Cremesp


ÉTICA (JC pág. 10)
O médico auditor deve se identificar de forma clara em todos os seus atos


VIDA DE MÉDICO (JC pág. 11)
O ortopedista Luiz Mestriner relata sua paixão pelo ensino médico


ESPECIALIDADES (JC pág.12)
Acompanhe a história das especialidades médicas a cada edição do JC


GERAL (JC pág. 13)
Acompanhe a participação do Cremesp em eventos relevantes para a classe


ALERTA ÉTICO (JC pág.14)
A ética no preenchimento do prontuário médico, segundo Parecer Consulta do Cremesp


PESC (JC pág. 15)
Iniciativa leva informações sobre temas de saúde a comunidades da periferia


GALERIA DE FOTOS



Edição 260 - 06/2009

PRÓ-SUS (JC pág. 7)

Fórum Nacional e Sudeste debate plano de cargos e salários da classe


Movimento Pró-SUS

Em defesa do trabalho médico no SUS

Salário mínimo profissional, plano de carreira, cargos e salários e adoção da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM) no sistema público foram debatidos no Fórum Nacional e Sudeste em Defesa do Trabalho Médico no SUS, realizado pela Comissão Nacional Pró-SUS , em 28 e 29 de maio, no Hotel Braston, na Capital paulista. O evento contou com uma conferência do ministro da Saúde, José Gomes Temporão, e passeata pela avenida Paulista, com a participação de cerca de 300 médicos


Henrique Carlos (ao centro) na abertura do Fórum da Região Sudeste

Em defesa de melhores condições do trabalho médico e do atendimento à saúde da população, entidades médicas nacionais e regionais – integrantes da Comissão Pró-SUS – organizaram o Fórum Nacional e Sudeste em Defesa do Trabalho Médico no SUS. Dentre as principais reivindicações do movimento estão a aprovação de uma carreira de Estado para os médicos, plano de cargos e salários e incorporação da CBHPM pelo sistema público de saúde.

Participaram do evento as seguintes entidades:  Conselho Federal de Medicina (CFM), Associação Médica Brasileira (AMB), Federação Nacional dos Médicos (Fenam), Associação Paulista de Medicina (APM), Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) e Academia de Medicina de São Paulo, além de sindicatos e APMs regionais nos Estados.“O Cremesp está nessa luta de mãos dadas com todas as entidades, associativas, sindicais e cooperativadas, e com todos os Estados brasileiros e os representantes federais”, declarou o presidente do Cremesp, Henrique Carlos Gonçalves, na abertura do Fórum Sudeste.

Fórum Sudeste
Na tarde do dia 28 teve início o Fórum Sudeste, durante o qual foram  abordados aspectos regionais sobre o trabalho médico e formas de encaminhamento das questões levantadas. Compuseram a mesa de abertura Henrique Carlos GonçalvesRenato Azevedo, presidente e vice-presidente do Cremesp, respectivamente; José Erivalder Guimarães, 1º vice-presidente da Fenam; Yvonne Capuano, presidente da Academia de Medicina de São Paulo; Luis Antonio Nunes, representante da APM; e Geraldo Luis Moreira Guedes, conselheiro do CFM.


Ministro Temporão (ao centro) e representantes das entidades médicas


Carreira médica de Estado

Eduardo Santana, 2º vice-presidente da Fenam, iniciou o ciclo de palestras com o tema Plano de Carreiras, Cargos e Salários. Ele apresentou as diretrizes e os principais avanços na proposta do plano de carreiras, cargos e vencimentos (PCCV) elaborada pelas entidades médicas, que prevê carreira de Estado dentro do sistema público, aumento de capacitação, valorização das especialidades e revisão no valor das gratificações. O documento, lançado oficialmente no Rio de Janeiro, servirá de base para as negociações entre médicos e gestores.

Também foram lembradas as recentes conquistas dos médicos no sistema de saúde suplementar, como a adoção da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM) como referencial para codificação e nomenclatura, e defendida a incorporação desta tabela pelo SUS.

Salário mínimo profissional
O segundo tema do Fórum Sudeste abordou aspectos do salário mínimo profissional. O coordenador da Comissão Nacional Pró-SUS do CFM, Geraldo Luiz Moreira Guedes, ministrou a palestra. Entre os projetos de lei apresentados, ele fez a defesa do piso salarial médico em R$ 7.503,18, como parâmetro para negociações. Guedes destacou a importância do projeto ao afirmar que, sem o piso salarial para carreira, os profissionais da saúde tendem a abandonar o atendimento público, relembrando o caso dos médicos de Pernambuco.

CBHPM
A palestra seguinte tratou do reajuste nos honorários da tabela SUS, com a adoção da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM). O atual primeiro tesoureiro da AMB, Florisval Meinão, falou sobre os aspectos positivos e as dificuldades que a classe médica encontrará na implementação da bandeira da CBHPM no SUS. “Temos de brigar por essa causa para que não haja uma diferença de valores, de modo a garantir à sociedade o acesso e direito àquilo que é mais moderno, também no sistema público."

Após apresentação das palestras foi realizado um debate coordenado pelo vice-presidente do Cremesp, Renato Azevedo Júnior. “Essas reivindicações não são coorporativistas, elas são do maior interesse do povo brasileiro. Se não forem concretizadas, o SUS nunca irá funcionar adequadamente”, concluiu Azevedo.

Fórum Nacional
Na abertura do Fórum Nacional, na noite do dia 28, estiveram presentes à mesa dos trabalhos o 1º vice-presidente da Federação Nacional dos Médicos (Fenam), José Erivalder Guimarães de Oliveira; o 1º vice-presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Roberto Luiz D’Avila; o presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), José Luiz Gomes do Amaral; o ministro da Saúde, José Gomes Temporão (leia os principais trechos de sua conferência na pág. 3); os deputados federais, Mauro Nazif (PSB-RO), Eleuses Paiva (DEM-SP) e Arlindo Chinaglia (PT-SP); e o conselheiro do CFM e coordenador da Comissão Nacional Pró-SUS, Geraldo Guedes.

Projeto de lei
Durante palestra do deputado Nazif, foi comemorado o parecer favorável da Comissão de Trabalho, Administração e de Serviço Público (CTASP) da Câmara dos Deputados, no último dia 28 de maio, para o projeto de lei 3734/08, do deputado Ribamar Alves (PSB-MA). Se a proposição for aprovada por outras comissões, pelo Senado, e receber sanção do presidente da República, o salário mínimo dos médicos será fixado em R$ 7 mil para 20 horas semanais; e o valor da hora trabalhada em R$ 31,81. “Ainda não é o que desejamos, mas já está bem mais próximo do que estamos lutando para conseguir”, afirmou Nazif.

Os deputados Eleuses Paiva e Arlindo Chinaglia solicitaram apoio no Congresso para a aprovação em plenário do projeto de lei que define o novo piso salarial. Sobre o SUS, Chinaglia afirmou que o mesmo foi uma inovação. “Ao criá-lo, o Brasil caminhou contra o mundo que rejeitava os avanços da saúde pública”.

Passeata encerra Fórum Pró-SUS

Após a realização de uma coletiva de imprensa na sede AMB, em São Paulo – que reuniu representantes das entidades médicas nacionais, para expor as dificuldades enfrentadas pelos médicos da rede pública de saúde do país –, cerca de 300 médicos realizaram uma caminhada  até o prédio da Gazeta, na avenida Paulista, onde reivindicaram melhores condições de trabalho no SUS.


Médicos reivindicam melhores condições de trabalho


Este conteúdo teve 79 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2020 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 251 usuários on-line - 79
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior