PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

EDITORIAL (JC pág. 2)
Texto reafirma os direitos do paciente e amplia o papel do médico


ENTREVISTA (JC pág. 3)
Oded Grajew, idealizador do Movimento Nossa São Paulo


ATIVIDADES 1 (JC pág. 4)
Serviços do Cremesp agora disponíveis aos médicos em eventos e congressos


ATIVIDADES 2 (JC pág. 5)
Curso sobre Mercado de Trabalho & Perspectivas avaliou opções para os recém-formados


GERAL 1 (JC pág. 6)
Fórum discute terceirização e precarização da mão-de-obra no setor da saúde


CEM 2009 (JC pág. 7)
Novo Código de Ética Médica foi aprovado em plenária durante a IV Conem


ESPECIAL (JC pág. 8)
Campanhas do Cremesp alertam para a importância do cuidado com a saúde do médico


GERAL 2 (JC pág. 10)
Estudo mostra que casos de falsos médicos caíram mais de 30% em um ano


INFLUENZA A (JC pág. 11)
Comunicado especial sobre a pandemia de gripe A (H1N1)


GERAL 3 (JC pág. 12)
Em vigor, lei antifumo deve economizar nos gastos públicos com a saúde


ATIVIDADES 3 (JC pág. 13)
Coluna dos conselheiros do CFM e agenda da presidência da Casa no mês de agosto


ALERTA ÉTICO (JC pág.14)
Análises do Cremesp ajudam a prevenir falhas éticas causadas pela desinformação


GERAL 4 (JC pág. 15)
Atividades do Programa de Educação em Saúde realizadas no mês de julho


ESPECIALIDADES (JC pág. 16)
Cerca de 10 mil pacientes são beneficiados por ano com transplantes de córnea no país


GALERIA DE FOTOS



Edição 262 - 08/2009

ESPECIAL (JC pág. 8)

Campanhas do Cremesp alertam para a importância do cuidado com a saúde do médico


CREMESP LANÇA CAMPANHAS E BOLETIM PARA MELHORIA DA SAÚDE E DO TRABALHO MÉDICO

Veja abaixo três iniciativas importantes que farão diferença na melhoria da qualidade de vida dos médicos e da população

Campanha sobre transplantes visa conscientizar profissionais

O Brasil é o segundo país em número de transplantes de órgãos por ano, sendo 90% realizado via sistema público de saúde. Mas, de cada seis pacientes, apenas um caso é notificado e, desses, 20% são doadores múltiplos de órgãos.

Para orientar os médicos em relação ao tema, o Cremesp iniciou uma campanha que, entre outras iniciativas, criou o site Eu Salvo Vidas, apresentando informações para que os colegas possam colaborar com a iniciativa e preservar ainda mais vidas. O conteúdo do site disponibiliza dados sobre diagnóstico da morte encefálica, notificação às centrais de transplante, avaliação do pacientes, cuidados com o doador e legislação sobre o tema, entre outros.

A campanha conta também com cartilha e cartazes voltados aos hospitais e clínicas, além de um encarte nesta edição do Jornal do Cremesp e inserção do tema na agenda Cremesp 2010, a ser oferecida a todos os médicos cadastrados para atuar no Estado de São Paulo.

A iniciativa tem o apoio da Sociedade Brasileira de Nefrologia, da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos e da Central de Transplantes da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.

De acordo com o médico e professor José Osmar Medina Pestana, diretor do Programa de Transplantes da Unifesp e do Hospital do Rim, o Estado de São Paulo tem um programa estruturado para a captação de órgãos e número de doações semelhante ao da Europa e Estados Unidos, na média de 30 transplantes por milhão de habitantes por ano. Para ele, o caso de doação de órgãos da menina Eloá, que morreu tragicamente em consequência de um sequestro em Santo André, foi também pedagógico a respeito dos procedimentos que a família e médicos podem adotar após o diagnóstico de morte encefálica. “Já existe um entendimento do benefício da doação para a sociedade e isso facilita a abordagem do médico sobre o assunto”, diz ele, que participou da elaboração do conteúdo da campanha. 

Para José Henrique Andrade Vila, cardiologista e coordenador clínico de transplante cardíaco do Hospital Beneficência Portuguesa, os principais limitantes ainda são o conceito de morte cerebral e a preservação do doador cadáver, uma vez que é necessário monitoramento e conhecimento sobre o manuseio dos pacientes. Vila atuou nos primeiros transplantes de coração realizados no Brasil com o precursor da técnica na América Latina, Euryclides Zerbini. O país contabiliza mais de mil transplantes cardíacos, sendo que mais de 40% em São Paulo.


Médicos devem cuidar também da própria saúde

Em função da necessidade de ter de atuar em diversos postos de trabalho, muitas vezes os médicos acabam descuidando da própria saúde, pois não têm tempo de fazer os acompanhamentos de rotina necessários para manter o bom funcionamento do corpo e da mente.

Pensando nessa situação, o Cremesp deu início a uma campanha no sentido de alertar médicos e médicas para os riscos à saúde que essa atitude pode acarretar. Com cartazes distribuídos em hospitais, clínicas e delegacias regionais do Conselho, a campanha está voltada tanto para o público masculino como o feminino, por meio do apelo Doutor, quem cuida também deve se cuidar e Doutora, quem cuida também deve se cuidar.

“Inicialmente o objetivo do Conselho é fazer um alerta por meio de cartazes, que estão sendo distribuídos nas unidades de saúde”, informou o coordenador da campanha, vice-corregedor e conselheiro do Cremesp, Clóvis Francisco Constantino. “Os médicos também adoecem, assim como a população em geral, e também integram as estatísticas epidemiológicas. Mas como sabemos que frequentemente eles negligenciam a própria saúde em função de vários empregos, decidimos iniciar essa campanha”, declarou.

Constantino acrescentou que “é provável que sejam feitas parcerias com as sociedades de especialidades que mais têm relação com os problemas preva¬lentes dos médicos e médicas, no sentido de multiplicar os efeitos da campanha”.

Comissões de Ética Médica ganham boletim

O Cremesp lança em breve um boletim, cuja periodicidade está prevista para ser bimestral, direcionado especialmente aos membros de Comissões de Ética do Estado de São Paulo: o Cem em Foco. Destacam-se como objetivos facilitar a comunicação entre o Conselho e as comissões e incentivar sugestões de meios para melhoria do funcionamento dessas instâncias, fundamentais para o correto desempenho ético da Medicina.

A organização e a edição do boletim de quatro páginas são de responsabilidade do Centro de Bioética do Cremesp, com suporte do Grupo de Apoio e Capacitação às Comissões de Ética Médica (Gacem). Incluem-se entre as seções: Entrevistas; Experiências Bem-Sucedidas; Tira-Dúvidas e Legislação.

A estrutura do primeiro número de Cem em Foco é atípica, trazendo uma pesquisa destinada a identificar o perfil, conhecimentos e anseios das comissões. As respostas podem ser encaminhadas via correio, por carta-resposta, e ainda pela internet, no site de Bioética. Participe!

Curso
Desde a implementação do Curso de Capacitação específico, em 2002, o Cremesp enfatiza sua vocação de apoio às CEM, suas legítimas representantes dentro das instituições. Atualmente existem no Estado 972 Comissões de Ética, sendo 296 na Capital e 676 no Interior.

Também coordenado pelo Centro de Bioética e elaborado pelo Gacem, o Curso de Capacitação já abrangeu dezenas de conselheiros e delegados do Cremesp, que desde o início aceitaram participar deste trabalho relevante para se atingir a meta de padronizar e aprimorar a atuação das comissões.

Informações sobre a distribuição do boletim podem ser obtidas pelo telefone do Centro de Bioética: (11) 5908-5647.


Este conteúdo teve 99 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2020 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 443 usuários on-line - 99
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior