PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

EDITORIAL (pág. 2)
Luiz Alberto Bacheschi - Presidente do Cremesp


ENTREVISTA (pág. 3)
José Augusto Cabral de Barros


ATIVIDADES 1 (pág. 4)
Encontros do Cremesp sobre as atualizações do novo CEM


ESCOLAS MÉDICAS (pág. 5)
Cremesp protocola documento junto ao MEC contra curso no interior do Estado


ATIVIDADES 2 (pág. 6)
Análise dos conflitos de interesses entre a categoria e empresas médicas


ATIVIDADES 3 (pág. 7)
Destaque para a reunião da Comissão Pró-SUS realizada em 17 de fevereiro


MOVIMENTO MÉDICO (pág. 8)
PLANOS DE SAÚDE


SAÚDE PÚBLICA
Confira a Portaria 104, do Ministério da Saúde, sobre notificação para doenças graves


GERAL 1 (pág. 11)
Medicamentos manipulados versus industrializados: riscos e cuidados


COLUNA DOS CONSELHEIROS DO CFM (pág. 12)
Canal de comunicação dos representantes de São Paulo no CFM


SAÚDE SUPLEMENTAR (pág. 13)
O atendimento gratuito de pacientes de planos de saúde


ALERTA ÉTICO (pág. 14)
Análises do Cremesp previnem falhas éticas causadas pela desinformação


GERAL 2 (pág. 15)
Participação do Cremesp em eventos relevantes para a categoria


ESPECIALIDADES (pág. 16)
Câmara Técnica do Cremesp mantém canal permanente de comunicação com o especialista


GALERIA DE FOTOS



Edição 279 - 03/2011

ESCOLAS MÉDICAS (pág. 5)

Cremesp protocola documento junto ao MEC contra curso no interior do Estado


Entidades são contrárias à homologação de curso de Medicina em Franca

O Cremesp encaminhou documento ao ministro da Educação, Fernando Haddad, solicitando que não homologue a abertura do curso de Medicina da Universidade de Franca, no interior do Estado de São Paulo, autorizado pelo Conselho Nacional de Educação (CNE). Esta medida contraria avaliação do próprio MEC e de especialistas.

A decisão foi tomada em plenária dos conselheiros, realizada no dia 8 de fevereiro.

De acordo com a nota divulgada pelo Cremesp, a atitude do CNE é contrária a relatórios oficiais que apontaram a ausência de necessidade social e o excesso de escolas médicas em São Paulo, posição coincidente com a defendida pelo Conselho e pelas demais entidades médicas.

NOTA CREMESP
O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp)  vem a público manifestar as seguintes preocupações com o recente parecer  do  Conselho Nacional de Educação (Parecer CNE/CES nº 241/2010), favorável à  abertura do curso de Medicina da Universidade de Franca (Unifran),  com sede no nunicípio de Franca, no Estado de São Paulo:

§ O CNE ignorou relatórios oficiais que apontaram a ausência de necessidade social e o excesso de escolas médicas em São Paulo, posição coincidente com a defendida pelo Cremesp e pelas demais entidades médicas.

§ O CNE não respeitou o trabalho e as manifestações da Comissão de Especialistas do Ensino Médico, que assessora a Secretaria de Educação Superior (SESu) do Ministério da Educação (MEC) e conta com a participação de profissionais de notório saber.

§ O parecer do CNE é  conflitante com recentes decisões do MEC, que reduziu vagas e até suspendeu o vestibular de escolas médicas mal avaliadas, ao mesmo tempo em que impediu a abertura de cursos sem rede instalada para o campo prático da Medicina, medidas que contaram com apoio irrestrito das entidades  médicas.

§ O Estado de São Paulo  já  conta com 31 cursos de Medicina, que somam mais de 3.000 vagas por ano.  É inadmissível a abertura de mais escolas médicas privadas que cobram hoje de R$ 2.800,00 a  R$ 6.000,00 a mensalidade.

§ Próximas à região  de Franca  já existem cinco escolas médicas: três em Ribeirão Preto, uma em São Carlos e uma em Araraquara, gerando altas concentrações de médicos por habitante.
§ A má qualidade do ensino médico em São Paulo, constatada anualmente pelo Exame do Cremesp, exige a avaliação das escolas já existentes e não a abertura de novos cursos.

Por isso, solicitamos ao ministro da Educação que não acate o parecer do Conselho Nacional de Educação (CNE) e não homologue a abertura do curso de Medicina da Universidade de Franca.

Pedimos ao Ministério da Saúde, ao Conselho Nacional de Saúde (CNS) e ao Ministério Público Federal que tomem as devidas providências diante da gravidade da situação.

Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo
São Paulo, 8 de fevereiro de 2011


NOTA APM E SIMESP
A Associação Paulista de Medicina (APM) e o Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) vêm a público reiterar sua concordância com a posição do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), contrária à abertura de novas escolas médicas no Estado.

O Estado de São Paulo  já  conta com 31 cursos de Medicina, que somam mais de 3.000 vagas por ano. A má qualidade do ensino médico em São Paulo exige a avaliação das escolas já existentes e não a abertura de novos cursos.

Devido ao excesso de Escolas Médicas, São Paulo tem 2,54 médicos por 1.000 habitantes, taxa bastante superior à nacional (1,78 médicos por 1.000 habitantes).

Por isso, repudiamos a abertura do curso de Medicina da Universidade de Franca (Unifran), em coerência com a posição histórica e fundamentada das entidades médicas paulistas.

Ao mesmo tempo manifestamos total apoio à Portaria da Secretaria de Educação Superior - SESU/MEC (nº 1.600, de 5 de novembro 2009) que, ao indeferir o pedido de abertura do curso de Medicina em Franca, considerou, especialmente “a ausência de necessidade social em face da existência de trinta e um cursos de Medicina no Estado de São Paulo”
Tendo em vista recente parecer do Conselho Nacional de Educação (Parecer CNE/CES nº 241/2010), conflitante com a posição anterior da SESU, nos unimos ao Cremesp e solicitamos ao Ministro da Educação que não homologue a abertura do curso de Medicina da Universidade de Franca.

Associação Paulista de Medicina
Sindicato dos Médicos de São Paulo
São Paulo, 2  de março 2011


Ex-presidente passa a integrar galeria de quadros do Cremesp 


Henrique Carlos recebe diploma do presidente Bacheschi, ao lado da esposa, Marisa, e dos filhos, Cristiane e Marcel

No auditório Flamínio Fávero, que reúne os quadros de todos os ex-presidentes do Cremesp, passa a figurar o de número 17, do atual diretor jurídico e conselheiro, Henrique Carlos Gonçalves, que presidiu a entidade durante duas gestões, no período de julho de 2007 a dezembro de 2009.

O presidente da Casa, Luiz Alberto Bacheschi, deu início à sessão solene, ressaltando “a alegria de prestar uma homenagem merecida e justa a Henrique Carlos, membro há 18 anos do Conselho, militante em vários cargos, uma pessoa que contribuiu para o progresso e atividades desta Casa”.

A mesa da solenidade foi composta por Bacheschi; Desiré Carlos Callegari, conselheiro representante de São Paulo no CFM e também ex-presidente; Jorge Machado Curi, presidente da Associação Paulista de Medicina (APM); e Carlos Alberto Grandini Izzo, diretor do Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp), representando o presidente Cid Célio Carvalhaes. Também presentes os ex-presidentes Isac Jorge e Clóvis Constantino, além de outros diretores e conselheiros da Casa.

O evento foi prestigiado por Adriano Diogo, deputado estadual da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo; Gilberto Natalini, médico e vereador (PSDB/SP); Ernani Geraldo Rolim, diretor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, e outros representantes de entidades médicas.


Este conteúdo teve 548 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 8h às 20h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2020 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 217 usuários on-line - 548
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior