PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

EDITORIAL (pág.2)
Renato Azevedo Júnior - Presidente do Cremesp


ENTREVISTA (pág.3)
Geraldo Ferreira Filho


ELEIÇÕES 2012 (pág.4)
Candidatura médica


CARREIRA DE ESTADO (pág.5)
Projeto de Lei 39/2012


CREMESP (pág.6)
Anuidades 2013


EXAME DO CREMESP 1 (pág.7)
Estatísticas da avaliação aplicada em 11/11


EXAME DO CREMESP 2 (págs.8 e 9)
Depoimentos dos participantes


MEDICINA ESPORTIVA (pág.10)
Doping no esporte


DIA DO MÉDICO(pág.11)
Homenagens


COLUNA DO CFM (pág.12)
Artigos dos representantes do Estado de São Paulo no Conselho Federal de Medicina


AGENDA DA PRESIDÊNCIA (pág.13)
Participação do Cremesp em eventos relevantes para a classe


SAÚDE DA MULHER (pág.15)
Programas de Atendimento


RETROCESSO (pág.16)
Anvisa libera venda de MIPs


GALERIA DE FOTOS



Edição 298 - 11/2012

ELEIÇÕES 2012 (pág.4)

Candidatura médica


25 prefeitos e 115 vereadores médicos foram eleitos em São Paulo



O plano de cargos e salários para médicos está entre as prioridades de alguns médicos eleitos vereadores



A candidatura de médicos às prefeituras municipais e à Câmara dos Vereadores no Estado de São Paulo para 2013-2016 resultou em pelo menos 25 postos ocupados por representantes da categoria, além de 115 que conquistaram vagas de vereadores. Escolhidos por eleitores de suas cidades, os novos prefeitos têm, além de zelar pelos interesses gerais do município, o desafio de continuar a lutar a favor da Saúde e das reivindicações da classe médica.

Na Capital, o novo secretário da Saúde ainda não está formalmente escolhido pelo prefeito eleito, Fernando Haddad (PT). Mas ele irá se deparar com questões que passam pela falta de verbas para o SUS, dificuldade na alocação de profissionais, a polêmica das Organizações Sociais (OSs) e as reivindicações dos médicos do sistema público, entre outras.


Defesa do SUS

    Na Câmara Municipal de São Paulo, o vereador e gastrocirurgião Gilberto Natalini (PV), que tem trajetória ligada ao movimento médico, foi reeleito e é um dos quatro médicos eleitos na Capital no último pleito. Em sua atuação, destacam-se a defesa do financiamento e da gestão do Sistema Único de Saúde (SUS), da destinação de 10% da verba federal ao SUS e da remuneração adequada dos médicos na saúde suplementar. Em seu terceiro mandato, ele quer aprofundar a discussão sobre o repasse ao SUS, ampliar e qualificar os leitos públicos e aumentar a integração dos serviços estaduais e municipais.

Natalini defende a criação de um plano de carreira para os médicos concursados municipais, ao modelo do projeto encaminhado pelo governador à Assembleia Legislativa. Pretende ainda atuar na distribuição dos médicos: “Houve uma migração dos profissionais do sistema público para a iniciativa privada e Organizações Sociais. Em 2005, São Paulo contava com 8,1 mil médicos. Hoje, tem mais de 15 mil. Aconteceu uma grande expansão, particularmente para AMAs e ambulatórios de especialidades, provocando a falta de médicos em áreas distantes. É preciso preencher essas vagas, dar uma carreira verdadeira aos profissionais e corrigir distorções salariais”, afirma.


Salários médicos
A questão dos salários médicos também é uma das prioridades do vereador eleito e médico urologista Enio Perrone (PSD), de Presidente Prudente. Ele considera “excelente” a proposta de um plano de cargos e salários e carreira para o médico no âmbito do Estado de São Paulo. “As entidades médicas de Presidente Prudente já apresentaram ao prefeito um projeto pedindo a implantação do plano de carreira médica municipal. Vou trabalhar para a realização desse projeto”, promete. Para Perrone, a ideia é aperfeiçoar o atendimento à população dependente do SUS. Na cidade, existem apenas 130 médicos servidores municipais para uma população de 207 mil habitantes.


 

 

Desafios em comum
A situação da saúde pública tem desafios em comum na maioria das cidades do Estado de São Paulo, e em Piracicaba não é diferente. “Medidas estão sendo tomadas, em nosso município, para melhorar e estender o atendimento a uma grande parte da população”, diz Ary Pedroso Jr, médico gastroenterologista e vereador reeleito na cidade. Ele cita como exemplo disso  a construção do Hospital Regional, que contará com 126 novos leitos, destinados aos pacientes do SUS da região. A unidade deverá realizar até 2 mil cirurgias/mês de média e alta complexidades e 700 cirurgias/mês eletivas.

Pedroso afirma que a aprovação de projetos relacionados às melhorias na saúde pública é unanimidade entre os vereadores e que apresentará proposituras visando cobrar agilidade na realização de exames, fortalecimento dos Programas de Saúde da Família (PSFs) e criação de campanhas promovendo a saúde preventiva. Em seu novo mandato, ele investirá na implantação do plano de cargos e carreiras para o servidor público municipal de saúde, junto ao prefeito eleito de Piracicaba, Gabriel Ferrato (PSDB).


Valorização profissional
Já em Campinas, a luta por melhores salários e outros estímulos para motivar os profissionais a trabalharem na rede pública encontrou alento na proposta que o vereador e médico sanitarista Pedro Tourinho (PT) pretende levar adiante na Câmara, envolvendo o fortalecimento do SUS e a valorização profissional com a revisão do plano de carreira municipal para o médico. “A falta de médicos é consequência do subfinanciamento da saúde pública e da dificuldade de gestão de recursos da cidade. Com plano de carreira, melhores condições de trabalho e valorização do profissional, além da fiscalização dos serviços e da construção de mais centros de saúde, pretendo trabalhar para reverter essa situação”, comenta.

 

Médicos eleitos prefeitos no Estado de São Paulo
Os paulistas elegeram 25 médicos prefeitos nas cidades de Altair, Avaré, Bocaina, Cajuru, Cândido Mota, Cerquilho, Flórida Paulista, Itaquaquecetuba, Mairiporã, Monte Azul Paulista, Motuca, Novo Horizonte, Paranapanema, Pedra Bela, Piraju, Rio das Pedras, Rosana, Santa Rita do Passa Quatro, São Joaquim da Barra, São José do Rio Preto, São Simão, Taboão da Serra, Taquaritinga, Taquarituba e Terra Roxa.

 

Cai representatividade dos médicos na Câmara de São Paulo
O número de médicos eleitos para a Câmara Municipal paulistana caiu de sete para quatro representantes. Na atual composição da Casa, são médicos os vereadores Carlos Neder (PT), Gilberto Natalini (PV), Jamil Murad (PCdoB), Maco Aurélio Cunha (PSD), Milton Ferreira (PSD), Paulo Frange (PTB) e Sandra Tadeu Mudalen (DEM),  que exercerão o mandato até o final do ano. Natalini e Cunha foram reeleitos, enquanto George Hato (PMDB) cumprirá seu primeiro mandato e Rubens Wagner Calvo (PMDB) volta a fazer parte da Casa.

 


Este conteúdo teve 733 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h

CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2020 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 365 usuários on-line - 733
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior