PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

ELEIÇÕES 1
Saiba como votar na eleição do Cremesp 2003


ELEIÇÕES 2
Informe-se sobre os locais para votação


ELEIÇÕES 3
Chapa 01: CRM para os Médicos


ELEIÇÕES 4
Chapa 02: NovoCRM


ELEIÇÕES 5
Chapa 03: Dignidade e União


ELEIÇÕES 6
Chapa 04: Unidade Médica


ELEIÇÕES 7
Chapa 05: CRM - Um novo tempo


ELEIÇÕES 8
Chapa 06: A Dignidade veste Branco


ELEIÇÕES 9
Chapa 07: Acerte na Sete


ELEIÇÕES 10
Chapa 08: Ética e Justiça


GALERIA DE FOTOS



Edição 191 - 07/2003

ELEIÇÕES 4

Chapa 02: NovoCRM


Chapa 02 – NovoCRM

O país atravessa uma crise econômica e social muito grave. O novo governo procura um projeto alternativo, ainda não definido, de retomada do crescimento. Enquanto há reajustes indexados de tarifas públicas e prestadores de serviços, os salários continuam achatados e os nossos honorários, além de não corrigidos, são desrespeitados sistematicamente. Por outro lado, a Agência Nacional de Saúde Suplementar reajustou os planos de saúde sem qualquer discussão com as entidades médicas. Enquanto isso, os bancos batem recordes consecutivos de lucros e os intermediários da medicina continuam a fazer reajustes de preços para manter a sua margem de lucro. Na questão social, o elevado desemprego piora as condições de vida da população, aumentando a procura por serviços públicos, como educação e saúde. Entretanto, a precariedade desses serviços ainda é a regra. Faz-se necessário amplo movimento junto à sociedade para que os serviços públicos essenciais sejam garantidos com a devida qualidade.

NOVOCRM
A direção atual do Conselho Regional de Medicina - CREMESP não teve capacidade e o necessário compromisso para evitar que a realidade profissional e a imagem do médico na sociedade piorassem nesses 10 anos de sua gestão. É preciso dar um basta a esse continuísmo sem resultados.

A situação, na qual o governo estadual e os municipais oferecem condições inadequadas de trabalho, seja pela deterioração de equipamentos e infra-estrutura, seja pela falta de recursos humanos, conta com a inércia do atual Conselho, que deveria denunciá-la publicamente e defender a necessidade do exercício ético da profissão. Ao contrário, o CREMESP aliou-se a governos e partidos políticos, tornando-se conivente com a precariedade dos serviços públicos. Sem independência para agir não se consegue alcançar resultados satisfatórios.

A falta de atuação do CREMESP contribuiu para a desvalorização profissional, comprometendo o exercício da medicina com honra e dignidade. O Conselho não deve somente punir os colegas, mas zelar para que os parâmetros do exercício profissional, expressos em nosso Código de Ética, sejam garantidos pelos que gerenciam o trabalho médico.

Particularmente, nos últimos cinco anos o CREMESP foi incapaz de propor saídas aos graves problemas enfrentados pelos colegas no mercado de trabalho.

A tabela da AMB, que sempre foi uma referência para a remuneração médica, permanece desatualizada. O número de médicos cresce numa razão duas vezes maior que o crescimento populacional do país devido à abertura indiscriminada de novas escolas. A formação precária e o excesso do número de médicos colocam em risco a saúde da população, pois estão relacionados ao aumento das infrações éticas, à aceitação de salários irrisórios, honorários abaixo da média e condições de trabalho desfavoráveis. A residência médica, por sua vez, além de escassa na maioria das escolas, necessita de avaliação quanto a sua qualidade.

O CREMESP deve assumir a direção política do movimento médico. Isso significa manifestar-se em relação à implementação das políticas de saúde junto ao Congresso Nacional e aos governos estaduais e municipais. Essa intervenção pressupõe análise do modelo de atendimento, com o conseqüente impacto sobre a saúde da população, além do fortalecimento de nossa representação na sociedade. Devemos trabalhar pela união de todas as entidades existentes e preparar a criação de uma nova: a Ordem dos Médicos. Sindicatos, Associações e Conselhos unidos poderão vencer os grandes desafios que enfrentamos por melhores condições de vida.

Os compromissos com a classe médica somente poderão ser resgatados por um novo CRM. Portanto, defenderemos:

- Fiscalização efetiva das condições de trabalho
- Remuneração justa
- Atualização do valor dos honorários médicos
- Aperfeiçoamento do processo ético
- Apoio à reciclagem profissional
- Fim da conivência do CREMESP com partidos políticos e governos
- Criação da Ordem dos Médicos
- Regulamentação e fortalecimento de todos os atos médicos
- Revisão da anuidade do CRM
- Apoio ao cooperativismo ético

Médico descontente, vota com a gente.
Site: http://www.novocrm.com.br

Alexandre Muassab - Ultra-sonografia - Vale do Paraíba
Antonio Lordello de Moraes – Ortopedia - Bauru
Antonio C. Camargo Moreno - Clínica Médica - São Paulo
Antonio Rodriguez Torres - Cirurgia Cardíaca - São Paulo
Antonio Rubino de Azevedo - G.O. - São Paulo
Carlos A. F. Portelada – Ortopedia - Franca
Carlos M. Gomes Neto – Neurologia - S. J. Rio Preto
Dimitrie J. Gheorghiu – Endocrinologia - São Paulo
Diógenes S. Martins – Homeopatia - São Paulo
Edson Ramuth - Cirurgia Plástica - São Paulo
Elinor Fernando F. Requena – Homeopata - Guarulhos
Enídio Ilario - Medicina do Trabalho - Campinas
Fábio da Silva Crochik – Urologia - São Paulo
Fauzi N. Hamuche - Clínica Médica - São Paulo
Heitor D’ Aragona Buzzoni - Urologia - São Paulo
Ivan P. Pistelli – Pediatria - São Paulo
Jefferson de O. Delfino - G.O. - Sorocaba
João S. de Almeida Prado – Psiquiatria - São Paulo
Jorge G. Arévalo – Cardiologia - Ribeirão Preto
José A. Armênio – Pediatria - Barretos
José A. Caracciolo - Cardiologia - Araraquara
José Renato S. Tosello - G.O. - Pres. Prudente
Laércio J. Silva - Cirurgia Geral - Santos
Laura B. M. Martins - G.O. - São Paulo
Luiz Alcides Manreza – Neurocirurgia - São Paulo
Luiz Antonio Correa – Urologia - Botucatu
Marco Aurélio da S. César - Medicina do Trabalho - S. Bernardo do Campo
Mariza D’ Agostino Dias - Terapia Intensiva - São Paulo
Nelson Y. Watanabe - Cirurgia Geral - São Paulo
Norberto Carvalhaes Machado – Anestesia - São Paulo
Pedro de Oliveira Lima - Clínica Médica - São Paulo
Roberto de Mello – ORL - Assis
Rogério Tuma – Neurologia - São Paulo
Sebastião Araújo - Terapia Intensiva - Campinas
Sérgio A. Nechar – Oncologia - Marília
Tenilson A. Oliveira - G.O - São Paulo
Virgínia C. de C. Roncatti – Laparoscopia - São Paulo
Vitor M. S. dos Reis – Dermatologia - São Paulo
Wilmar R. Silvino – Oftalmologia - São Paulo
Winneton C. Lima - G.O. – Araçatuba


Este conteúdo teve 336 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2020 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 134 usuários on-line - 336
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior