PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

EDITORIAL (JC pág. 2)
Editorial de Henrique Carlos Gonçalves, que assumiu a presidência do Cremesp em 27 de julho


SOLENIDADE (JC pág. 3)
Posse de novos diretores completa rodízio nos cargos de direção da Casa


ENTREVISTA (JC pág. 4)
Henrique Carlos Gonçalves dá sua primeira entrevista como presidente do Cremesp


DIRETORIA (JC pág. 5)
Acompanhe o perfil de cada um dos novos diretores do Cremesp


ATIVIDADES DO CREMESP (JC pág. 6)
Educação Médica Continuada: anote próximos módulos na Capital e em Taubaté


ACIDENTE AÉREO (JC pág. 7)
Cremesp e entidades médicas divulgam Nota Pública sobre a tragédia


ESPECIAL 1 (JC pág. 8)
Vem aí a terceira edição do Exame de Egressos do Cremesp. Inscrições abertas


ESPECIAL 2 (JC pág. 9)
Exame de Egressos 2007: já é consenso, na sociedade, a importância desta iniciativa


ATUALIZAÇÃO (JC pág. 10)
O canal Atualização desta edição traz novas propostas p/casos de tuberculose no país


GERAL 1 (JC pág. 11)
Preenchimento da TISS gera debate entre entidades médicas


HISTÓRIA (JC pág. 12)
Hospital Sírio Libanês: primeira UTI da América Latina


ACONTECEU (JC pág. 13)
Acompanhe os fatos que marcaram o mês de julho para a classe médica


ALERTA ÉTICO (JC pág. 14)
É lícito atender pelo SUS e indicar cirurgia particular?


GERAL 2 (JC pág.15)
Atualize sua agenda e programe-se: eventos interessantes não faltam...


GALERIA DE FOTOS



Edição 239 - 07/2007

EDITORIAL (JC pág. 2)

Editorial de Henrique Carlos Gonçalves, que assumiu a presidência do Cremesp em 27 de julho



Unidade médica é mais do que um rótulo


Unidade é uma estratégia política para avançarmos em nosso projeto coletivo de assegurar uma medicina exercida com ética e dignidade; e garantir uma assistência em saúde de qualidade para nossos cidadãos


Quando assumimos a gestão do Conselho em outubro de 2003, o termo Unidade Médica foi mais do que um rótulo da chapa vencedora naquelas eleições. Sabíamos, desde o início, que conquistar uma unidade, de fato, era um projeto ambicioso.

O próprio termo unidade traz, em si, um paradoxo. Ao mesmo tempo em que é uma característica de ser um, de ser único, unidade é uma qualidade daquilo que apresenta harmonia e coerência. Unidade, no nosso caso, quer dizer concordância de idéias, respeito a opiniões divergentes, realização de ações conjuntas, respeito aos papéis, às competências e à autonomia.

Mais que isso, unidade é uma estratégia política para avançarmos em nosso projeto coletivo de assegurar uma Medicina exercida com ética e dignidade, de garantir uma assistência em saúde de qualidade para nossos cidadãos e de contribuir para uma sociedade mais justa, mais humana e com mais eqüidade.

Assim como o próprio termo, temos de superar, constantemente, nossas contradições pessoais e institucionais, aprender a conviver com nossas diferenças em prol de um objetivo comum. É preciso que cada um se dispa das vaidades, renuncie a ambições personalíssimas, encare o poder como instrumento de transformação para justiça social e se disponha a trabalhar e lutar pelo bem comum, pelo coletivo, pela sociedade.

Foi justamente em torno e em nome desta unidade que foi definida consensualmente a composição da atual diretoria, que tem a importante missão de conduzir e concluir esta gestão do Cremesp até 2008. Não houve disputa de cargos, não houve concorrência de poder. A presidência e os integrantes da diretoria foram escolhidos de forma consensual, de acordo com as disponibilidades de cada um e o melhor perfil para a instituição Conselho, para a unidade das entidades médicas, para o conjunto dos médicos do Estado e para a sociedade paulista. Mas a unidade, como meta e estratégia do movimento médico, não pode estar restrita ao Cremesp.

É nesse sentido que também comemoramos a consolidação da Federação das Entidades Médicas do Estado de São Paulo – Fenmesp. É um compromisso com a classe médica e com a sociedade paulista. É o resultado da harmonização de esforços entre nossas instituições; uma aliança política, que coroa a coesão e a união histórica das entidades.

Mas o espírito de unidade presente no Cremesp e praticada pelas entidades estaduais precisa alcançar todos os médicos do Estado de São Paulo. Esta é a parte mais difícil, é o desafio maior que ora precisamos enfrentar. Embora não sejam poucos nossos esforços, não temos ainda sido capazes de mobilizar de forma cabal a classe médica que vem sendo cada vez mais aviltada.

Se os colegas que atuam no serviço público reclamam de problemas de infra-estrutura e de falta de equipamentos para o adequado exercício da Medicina, além de salários aviltantes; aqueles que prestam serviços à saúde suplementar denunciam sérias limitações e restrições ao exercício profissional comprometido pela mercantilização da Medicina.

Portanto, todas as nossas ações à frente do Cremesp serão no sentido de reverter essa realidade, pois sabemos que no momento em que o médico e a medicina forem mais valorizados, a população será também beneficiada.

Este é o papel dos Conselhos: trabalhar pela classe médica e pela sociedade. Aqui não há conflito de interesses.

A nossa gestão estará ao lado dos médicos, como o fizemos recentemente diante da difícil situação vivida pelos colegas peritos do INSS e como também fizemos agora, em solidariedade e reconhecimento aos colegas legistas que atuam na identificação das vítimas da tragédia aérea que abalou o país.

Sei que vou contar com cada um dos conselheiros, dos delegados e dos funcionários do Cremesp para a difícil missão de conduzir esta instituição.

Reconheço que já inicio com uma grande vantagem, pois conto com uma estrutura firme, organizada, pronta para continuar os projetos em andamento e para iniciar os que serão necessários.
 
Aos grandes homens e mulheres que integraram o corpo de conselheiros desta casa desde 1957, honrando e engrandecendo a classe médica, aos que me antecederam na presidência nesta gestão 2003-2008 – Desiré Carlos Callegari, Isac Jorge Filho e Clóvis Francisco Constantino – digo: obrigado por tudo que fizeram e continuam fazendo pelo Cremesp e pela classe médica. Sei que não será fácil ficar à altura do que vocês realizaram. Mas me comprometo a tentar manter a tenacidade e a determinação que vocês empreenderam, o que é motivo de orgulho de todos que participam desta gestão.


Henrique Carlos Gonçalves
Presidente do Cremesp


Este conteúdo teve 134 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2020 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 227 usuários on-line - 134
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior