Pareceres


Nova Pesquisa | Voltar
Enviar por e-mail | Imprimir apenas a ficha | Imprimir o parecer com a ficha

PARECER Órgão: Conselho Regional de Medicina do Estado de S��o Paulo
Número: 80127 Data Emissão: 30-06-2022
Ementa: A competência para definir doença ocupacional no Brasil é do Ministério do Trabalho e Previdência, juntamente com o Ministério da Saúde.

Imprimir apenas a ficha


Imprimir o parecer com a ficha

Consulta nº 80.127/22

Assunto: Sobre artigo publicado no "American Journal of Ophthalmology", sugerindo que o trabalho noturno é um fator de risco independente para Coriorretinopatia Serosa Central.
 

Relatoras: Conselheira Mirna Yae Yassuda Tamura e Dra. Isabela Maria Isoldi de Morais, membro da Câmara Técnica de Oftalmologia.

Ementa: A competência para definir doença ocupacional no Brasil é do Ministério do Trabalho e Previdência, juntamente com o Ministério da Saúde.

O consulente, Dr. M.M.B., solicita parecer do CREMESP sobre artigo publicado no "American Journal of Ophthalmology", sugerindo que o trabalho noturno é um fator de risco independente para Coriorretinopatia Serosa Central.

PARECER

Trata-se de um estudo que objetivou analisar fatores de risco para surgimento e desenvolvimento de coriorretinite serosa central.

É um estudo caso controle prospectivo que analisou 40 trabalhadores com serosa central e 40 controles.

Foram analisados os seguintes fatores de risco: desordens do sono, trabalho noturno, uso de esteroides, estresse, hipertensão arterial, alcoolismo, tabagismo, doenças alérgicas e depressão.

Em análise multivariável foram considerados possíveis fatores independentes associados à serosa central: desordens do sono, trabalho noturno, uso de esteroide e estresse.

Foi considerado pelos autores como fator de confusão a difícil dissociação entre distúrbio do sono e trabalho noturno. Também consideraram que os distúrbios do sono foram analisados através de um questionário e não por polissonografia, bem como o tamanho da amostra, cujo "N" é muito pequeno e não representativo da população.

CONCLUSÃO

Esse estudo não tem força científica suficiente para por si só sugerir uma alteração na normatização de doença ocupacional, a fim de considerar o trabalho noturno como fator de risco para serosa central. Mesmo se fosse um estudo conclusivo e relevante, a competência para definir doença ocupacional no Brasil é do Ministério da Trabalho e Previdência, juntamente com o Ministério da Saúde.


Este é o nosso parecer,


Conselheira Mirna Yae Yassuda Tamura


APROVADO NA REUNIÃO DA CÂMARA TÉCNICA DE OFTALMOLOGIA, REALIZADA EM 18.05.2022.
APROVADO NA REUNIÃO DA CÂMARA DE CONSULTAS, REALIZADA EM 30.06.2022.
HOMOLOGADO NA 5.115ª  REUNIÃO PLENÁRIA, REALIZADA EM 05.07.2022.

Imprimir o parecer com a ficha

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h

CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2022 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 136 usuários on-line - 1
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior

O CREMESP utiliza cookies, armazenados apenas em caráter temporário, a fim de obter estatísticas para aprimorar a experiência do usuário. A navegação no site implica concordância com esse procedimento, em linha com a Política de Cookies do CREMESP. Saiba mais em nossa Política de Privacidade e Proteção de Dados.